Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Petrobras prevê desenvolver todos os campos do pré-sal até 2020

Por Denise Luna e Rodrigo Viga Gaier RIO DE JANEIRO (Reuters) - Até 2020 todos os campos do pré-sal da bacia de Santos estarão desenvolvidos ou em desenvolvimento, afirmou o diretor de Exploração e Produção da Petrobras, Guilherme Estrella, que disse ter recebido missão do Conselho de Administração da companhia para acelerar os projetos da promissora região.

Reuters |

De acordo com Estrella, o plano piloto do campo de Guará, próximo a Tupi, entrará em operação com 100 mil barris diários de óleo leve a partir de 2013. Ele disse que Iara também poderá entrar em operação, mas que não há decisão sobre o assunto.

"Estamos muito interessados, e todos os nossos sócios, de acelerar a produção desses poços do pré-sal", afirmou Estrella em entrevista coletiva a jornalistas nesta quarta-feira.

Ainda sem dados concretos como em Tupi e Iara, que juntos possuem reservas entre 8 e 12 bilhões de barris de óleo equivalente, o campo de Guará tem gás associado mas ainda não teve suas reservas divulgadas.

As descobertas do pré-sal vão adicionar 219 mil barris diários de petróleo leve à produção da Petrobras e dos seus parceiros nos campos a partir de 2013. Em 2014 a previsão é de que esse volume suba para 368 mil b/d; 582 mil b/d em 2015; 959 mil b/d em 2016; e ultrapassando a barreira dos 1 milhão em 2017, quando atingiria 1,315 milhão de b/d. Em 2020 a região deverá atingir a produção de 1,815 milhão de b/d.

"Nosso crescimento está bastante alicerçado no pré-sal a partir de 2013, mas calcado na realidade do que já temos hoje e que nos coloca numa situação bastante confortável", afirmou Estrella.

Os investimentos para o pré-sal da bacia de Santos somam 111,4 bilhões de dólares de 2009 a 2020, com maiores investimentos a partir de 2013. Segundo uma fonte da companhia que não quis ser identificada, em 2009 serão investidos 1,5 bilhão de dólares; em 2010, 5 bilhões de dólares, nível mantido até 2013, quando os investimentos pulam para 11 bilhões de dólares e atingem 14,2 bilhões de dólares em 2016.

Segundo a fonte, 23 plataformas serão instaladas no pré-sal da bacia de Santos até 2020. O campo de Júpiter, que só possui gás natural, começará a produzir entre 2017 e 2018.

No pré-sal da bacia do Espírito Santo, que já está em produção, a previsão de investimentos é de 12,6 bilhões de dólares de 2009 a 2020.

De acordo com o plano de negócios da Petrobras, a produção total de petróleo da empresa deve atingir 3,920 milhões em 2020, numa escala de crescimento que começa com 2,050 milhões de b/d este ano; 2,250 milhões b/d em 2010; 2,430 milhões em 2011; 2,580 em 2012; e 2,680 milhões b/d em 2013.

Em 2014 a produção daria um salto de 2,980 milhões b/d; passando para 3,340 milhões b/d no ano seguinte; 3,600 milhões b/d em 2016; 3,740 milhões b/d em 2017; 3,830 milhões b/d em 2018 e 3,900 b/d em 2019.

A empresa prevê estar operando 168 plataformas de produção até 2020, contra as 117 atuais.

(Por Denise Luna)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG