A Petrobras ainda está negociando sua permanência no Equador, informou hoje o diretor da área internacional da estatal, Jorge Zelada. Ontem o ministro equatoriano de Minas e Petróleo, Galo Chiriboga, havia anunciado que a estatal brasileira já teria aceitado o acordo para a assinatura do novo contrato que prevê sua remuneração como prestadora de serviços.

O Equador mudou recentemente sua legislação e passou a deter a propriedade sobre as áreas de exploração de petróleo.

Em entrevista às agências internacionais, o diretor-geral da Petrobras Américas, Décio Oddone, também havia confirmado que a Petrobras estaria com intenção de continuar investindo no Equador.

Segundo Zelada, a intenção da estatal não é deixar o país, porém ele salientou que a companhia é uma operadora e não uma prestadora de serviços. O Equador quer remunerar as empresas que hoje lá atuam como prestadoras de serviço. O país negocia, desde outubro de 2007, a mudança de contratos de participação com Andes Petroleum (China), Perenco (França), Petrobras, Repsol YPF (Espanha-Argentina) e Petroriental (China).

"Não há ainda qualquer definição sobre o assunto. Estamos para avaliar um contrato que será apresentado. Nossa intenção é de permanência. Mas a Petrobras é operadora e não prestadora de serviços", lembrou. Hoje a estatal produz 12 mil barris por dia de petróleo no Equador.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.