Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Petrobras não descarta diesel mais caro com produto menos poluente

RIO - O diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, não descartou a possibilidade de que a comercialização do diesel S-50, com 50 partes de enxofre por milhão (ppm), traga um aumento de preços do combustível. De acordo com o executivo, este produto, que começará a ser vendido no país em janeiro de 2009, é cerca de 10% mais caro que o S-500, o menos poluente em circulação no Brasil.

Valor Online |

"A Petrobras está investindo nas refinarias cerca de US$ 4 bilhões para fabricar o diesel 50 e isso vai ter que ser repassado para o preço. Em média, estimamos mais 10% em relação ao valor do S-500, que é vendido nas regiões metropolitanas", frisou Costa. "Para ter um produto de melhor qualidade, alguém vai ter que arcar (com a diferença)", acrescentou.

Costa frisou que o modo como a diferença de preços será "levada a mercado" ainda não foi definida dentro da empresa, mas garantiu que nas discussões com o Ministério Público Federal (MPF), o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e outros órgãos para definir a antecipação da venda do S-50 não foi discutido nenhum tipo de compensação para a empresa pelo custo a mais com o produto menos poluente.

Costa explicou que a Petrobras só deixará de importar diesel quando entrarem em produção as refinarias de Abreu Lima, em Pernambuco, e o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), a partir de 2012. Segundo ele, o país deverá se tornar exportador do combustível quando começarem a operar as refinarias Premium, que serão construídas no Maranhão e no Ceará.

O executivo explicou que a Petrobras fechou acordo na semana passada com o MPF, Ibama, Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) e Companhia de Tecnologia e Saneamento Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) para começar a vender no mercado brasileiro o diesel S-50.

O produto será negociado a partir de janeiro para as frotas cativas de ônibus urbanos das cidades do Rio de Janeiro e São Paulo e a partir de maio estará disponível para a frota de veículos metropolitanos de Fortaleza, Recife e Belém. Em agosto será a vez dos ônibus de Curitiba e em janeiro de 2010 o S-50 estará disponível para os ônibus de Porto Alegre, Belo Horizonte e Salvador e para a região metropolitana de São Paulo.

Em 2009, a estimativa da Petrobras é que sejam consumidos no país 1,8 bilhão de litros de diesel S-50.

A estatal se prepara ainda para implantar o S-10, com 10 partes de enxofre por milhão, a partir de 2013. Para isso, vai investir US$ 2 bilhões nas refinarias já existentes, enquanto Abreu Lima, Comperj e as duas unidades de combustíveis premiu já nascerão aptas a produzir o S-10.

(Rafael Rosas | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG