Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Petrobras fará refinarias, diz Lula

RECIFE - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou ontem que não haverá diminuição de um só dólar nos investimentos da Petrobras por conta da crise econômica mundial. Todas as refinarias estão mantidas, a do Rio Grande do Norte, do Maranhão e a do Ceará , disse Lula durante uma apresentação do Fórum dos Governadores do Nordeste, realizado no Recife.

Valor Online |

A Petrobras deve anunciar em breve seu plano estratégico para o período de 2009-2013, mas nos últimos dias havia rumores de que a queda do preço do petróleo ameaçaria os planos de construção de refinarias no Brasil, que perderiam prioridade para os investimentos na exploração do petróleo na camada pré-sal. Os projetos deveriam ter sido divulgados em outubro, mas por causa da instabilidade que a crise trouxe a divulgação acabou adiada para este mês.

Em um discurso anterior ao do presidente, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, explicou que os investimentos da Petrobras fazem parte do tripé de ações que o governo federal está tomando para enfrentar os problemas econômicos. " O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), o pré-sal e os programas sociais formam o pacote anticíclico do Brasil. " Segundo a ministra, é o PAC que vai garantir a manutenção do emprego no país, por isso o governo mantém o quase R$ 1 trilhão em investimentos estruturais.

Na avaliação da ministra, essa crise tem maiores proporções que de a 1929 e a dos anos 90. " Agora, temos uma crise de trilhões de dólares " , disse. Porém, na sua avaliação, o Brasil sofrerá menos do que outros países emergentes. " Até setembro, vínhamos acelerando ainda " , observou a ministra, em referência aos indicadores econômicos.

O fato de o Brasil não ter de recorrer ao Fundo Monetário Internacional (FMI) nesta crise, ao contrário das demais, é o que vai garantir que o país continue crescendo, de acordo com a ministra. " Hoje, não quebramos. Somos credores em dólares. Temos todos os instrumentos nas mãos: política fiscal e monetária " , afirmou. Com isso, ela assegurou que o Brasil continuará a fazer investimentos, evitando o surgimentos de gargalos na área de infra-estrutura. " A crise de energia, por exemplo, não caiu do céu " , disse ela, fazendo uma referência ao racionamento de 2001.

Outro potencial que o Brasil vai explorar neste momento de crise, disse a ministra, é o que ela chama de " mercado de massa " . A expansão da renda, do crédito e dos programas sociais possibilitou o surgimento de uma nova classe média, que será importante para enfrentarmos o momento de problemas econômicos mundial. " Temos de olhar para os 190 milhões de consumidores que temos " , afirmou Dilma.

O presidente Lula, durante discurso em Olinda, lembrou que grande parte das obras PAC será inaugurada em 2009 e 2010. " São R$ 504 bilhões [investidos] em todos os Estados. A partir daí vamos construir um novo PAC, um novo compromisso para que quem entrar no governo não tenha que perder tempo e já tenha as definições das obras prioritárias para esse país. " . Sobre a crise financeira mundial, Lula disse que vai mostrar como enfrentar a instabilidade econômica internacional.

(Carolina Mandl | Valor Econômico, com Agência Brasil)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG