RIO - A Petrobras espera fechar em até 90 dias com a venezuelana PDVSA o acordo de acionistas da refinaria de Abreu Lima, que está em construção me Pernambuco. O diretor de Abastecimento da estatal brasileira, Paulo Roberto Costa, confirmou que o objetivo é que a estrangeira fique com fatia de 40% do empreendimento.

O executivo voltou a afirmar que as obras na refinaria continuam, independentemente de acordo. Metade da terraplenagem já está pronta , frisou.

Abreu Lima faz parte de um pacote de cinco refinarias que serão construídas no país até 2016. Além da unidade pernambucana, estão previstos o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), uma refinaria Premium com capacidade de 600 mil barris por dia no Maranhão, outra unidade Premium de 300 mil barris no Ceará e uma pequena planta no Rio Grande do Norte.

Sobre a unidade do Ceará, o executivo explicou que o objetivo é fechar ainda este mês o projeto com o governo do estado. A Petrobras já chegou a um acordo com as autoridades locais sobre a escolha do terreno em Pecém, que terá que ser doado pelo governo estadual à empresa.

Costa confirmou ainda que a companhia decidiu rever a decisão de ficar com participação de 10% no campo de petróleo pesado de Carabobo, na Venezuela, e ressaltou que poderá entrar na licitação para elevar a fatia para até 40%. Os 60% ficarão com a PDVSA.

A empresa pretende ainda lançar entre 45 e 60 dias o edital para licitação dos primeiros 21 navios de apoio que serão afretados pela área de Abastecimento. Neste primeiro lote - de um total de 146 embarcações previstas - serão 19 barcos de tamanho médio e dois superpetroleiros do tipo Very Large Crude Carriers (VLCC).

(Rafael Rosas | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.