Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Petrobras e Modec fecham acordo para plataforma-piloto de Tupi

RIO - A Petrobras e a Mitsui Ocean Development & Engineering Co. (Modec) assinaram memorando de intenções para construção, afretamento e operação da plataforma que será utilizada no projeto-piloto do campo de Tupi, na Bacia de Santos. A unidade será do tipo FPSO (Floating Production, Storage and Offloading), com capacidade de produzir 100 mil barris de óleo ou 150 mil barris de fluidos por dia, com capacidade de armazenagem de 1,6 milhão de barris.

Valor Online |

As informações foram confirmadas pela estatal brasileira, que não revelou os valores envolvidos na negociação. Apesar de os valores não terem sido confirmados, na nota divulgada pela Modec no site da empresa, o presidente da companhia, Kenji Yamada, garante que vai entregar uma FPSO de qualidade no tempo e dentro do orçamento.

A expectativa da Modec é de que a plataforma chegue ao país no quarto trimestre de 2010, para ser instalada em lâmina d'água de 2.150 metros. A empresa japonesa será responsável pelo projeto de engenharia, construção e operação, enquanto a Sofec ficará responsável pelo sistema de ancoragem.

O contrato prevê o afretamento por 15 anos, com cinco renovações anuais possíveis. A Modec vai converter o VLCC (very large crude carrier, petroleiro de grandes proporções) M/V Sunrise IV, que passará a se chamar FPSO Cidade de Angra dos Reis MV22. Inicialmente, a plataforma produzirá a partir de cinco poços, mas terá capacidade de adicionar outros quatro poços ao sistema no futuro.

Esta será a sexta embarcação da Modec a operar no Brasil. Atualmente, a empresa opera as FPSOs Fluminense e Cidade do Rio de Janeiro MV14 e a FSO Cidade de Macaé MV15. Além dessas, as plataformas Cidade de Niterói MV18 e Cidade de Santos MV20 estão em construção, com expectativa de começarem a operar, respectivamente, nos últimos trimestres de 2008 e 2009.

O FPSO para o piloto de Tupi representa uma etapa significativa para a Modec na assistência à Petrobras e aos seus parceiros para começar a desenvolver as vastas reservas do pré-sal da Bacia de Santos, frisa o presidente da Modec International, Rick Hall.

O campo de Tupi será o primeiro do pré-sal a entrar em operação na unidade de negócios da Bacia de Santos. A estatal estima que as reservas do campo estejam entre 5 bilhões e 8 bilhões de barris. A produção começará na região com o teste de longa duração (TLD), que deve começar a produzir 30 mil barris diários a partir de março do ano que vem.

O piloto, que deve ter início em 2010, vai ajudar a definir a melhor maneira de se explorar o campo, colaborando, inclusive, para determinar o número de plataformas que serão necessárias.

(Rafael Rosas | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG