Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Petrobras e Comgás discutem fornecer gás spot a clientes industriais

RIO - A Petrobras e a Comgás discutem a criação de um mecanismo que permita à distribuidora paulista oferecer a clientes industriais bicombustíveis a possibilidade de comprar gás natural no mercado spot em períodos de pouco uso do insumo para geração de energia elétrica. De acordo com a diretora de gás e energia da Petrobras, Maria das Graças Foster, a empresa já tem em alguns pontos da rede de gasodutos cerca de 1 milhão de metros cúbicos diários que poderiam ser colocados no mercado spot, mas que atualmente ficam fechados nas válvulas ao longo do sistema.

Valor Online |

" Temos volume de 1 milhão de metros cúbicos por dia que fica preso em determinados pontos dos gasodutos e que ainda não está no mercado spot porque uma série de consumidores ainda não está preparada para isso. Se eu não oferecer ao mercado, o mercado não se desenvolve para comprar o meu produto " , frisou Maria das Graças, que participou hoje da Rio Oil & Gas, no Rio de Janeiro.

A diretora acrescentou que atualmente esse volume está disponível em diversos pontos da rede da companhia e que, no futuro, quando o Gasene estiver disponível, haverá uma grande flexibilidade para que o gás seja disponibilizado para diferentes locais.

" Quando a rede estiver toda integrada, o que vai acontecer com o Gasene, aí eu vou ter uma grande flexibilidade na elaboração de diversos produtos " , disse.

A executiva ressaltou que as discussões com a Comgás já vêm acontecendo e afirmou que a criação de um mercado spot para eventuais sobreofertas de gás natural depende das negociações da distribuidora com seus clientes. Na visão de Maria das Graças, o atrativo para indústrias bicombustíveis pode ser um insumo mais barato e em maior quantidade, em épocas de aumento de produção industrial.

" Um cliente pode querer mais 500 mil metros cúbicos para aumentar a produção no fim do ano. Aí eu mando gás para ele e ainda tenho resultado positivo " , ponderou.

A executiva acrescentou que a estatal terminará o ano com produção própria de gás natural ofertada ao mercado em torno de 30 milhões de metros cúbicos diários, 10 milhões de metros cúbicos abaixo do previsto no Plangás. Maria das Graças fez questão de frisar que a produção atingirá os 40 milhões previstos no plano no primeiro trimestre e que os atrasos na produção são " uma questão de dias " . A produção total da companhia no país, que engloba os volumes consumidos dentro das unidades da própria Petrobras, deve fechar o ano em 37,6 milhões de metros cúbicos por dia.

"(Rafael Rosas | Valor Online)"

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG