Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Petrobras deve concorrer a exploração de gás e petróleo no Uruguai

Montevidéu, 18 nov (EFE).- A Petrobras deve participar da rodada do Uruguai sobre prospecção e exploração de hidrocarbonetos em suas águas, em 3 de dezembro, antecipou hoje o ministro da Indústria uruguaio, Daniel Martínez.

EFE |

Embora ainda não saiba quantas firmas participarão, a Petrobras e a espanhola Repsol já "mostraram interesse", disse Martínez, desde março à frente do Ministério de Indústria após presidir desde 2005 a companhia petrolífera estatal uruguaia, Ancap.

Nas conchas sedimentárias uruguaias estima-se que haja entre 5 bilhões e 8 bilhões de barris de reservas de petróleo, suficientes para aumentar em 50 % as atuais reservas brasileiras.

As maiores expectativas recaem sobre reservas de gás, sem descartar o óleo cru, disse o ministro.

"A tecnologia atual permite obter muita mais informação sobre o gás que sobre o petróleo" e há setores marítimos onde esses dados mostram "de forma muito clara" a possível presença de reservas, explicou Martínez.

Ele acrescentou que há grandes "placas sedimentárias" com uma "gigantesca semelhança" às encontradas nos leitos marítimos do Brasil, da Namíbia e de Angola.

Além disso, "não se encontraram camadas de sal, ao contrário do Brasil, o que favorece a prospecção", concluiu.

Outra empresa que pode participar é a russa Lukoil, em plena expansão pela América Latina, informou o ministro uruguaio, durante entrevista coletiva.

Posteriormente, o Uruguai deve lançar 11 blocos de prospecção marítima de hidrocarbonetos, para licitação entre junho e julho de 2009.

Esses 11 setores terão entre 4 mil e 8 mil quilômetros quadrados, em águas de 1.000 m a 3.000 m de profundidade, embora, indicou Martínez, "os dados mais interessantes aparecem a 700 ou 800 metros", entre Punta del Este e Cabo Polônio.

Para conceder os direitos de produção, o Uruguai avaliará o custo total, incluídos o custo de exploração e as margens de lucro da empresa e do Estado uruguaio.

Segundo Martínez, serão necessários de US$ 100 milhões a 150 milhões para a prospecção e detecção e de US$ 3 mil e US$ 5 bilhões para a exploração. EFE jas/jp

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG