A diretora de gás e energia da Petrobrás, Graça Foster, garantiu ontem que não houve redução no fornecimento de gás boliviano para o Brasil, apesar da invasão da transportadora de gás Transierra em Villamontes. Até o momento não há sinal nenhum de que possamos ter perda de suprimento do gás da Bolívia, afirmou Graça.

As informações sobre o corte no gás foram contestadas também pela Câmara Boliviana de Hidrocarbonetos (CBH), entidade que reúne as petrolíferas com operações na Bolívia. "O último relatório indica que o fluxo de gás está normal", disse ao Estado o porta-voz da entidade, Ronald Fessy. Especialistas, porém, vêem com preocupação o recrudescimento da crise política no país vizinho.

"O problema é que não há um comando unificado do movimento, cada região possui seus líderes", avalia o consultor Pedro Camarota, da Gas Energy.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.