Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Petrobras descarta atrasos na produção em 2009

Por Barbara Lewis DAVOS, Suíça (Reuters) - O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, disse que não haverá atrasos em projetos da estatal em 2009, contrariando tendência global, e afirmou que a produção da empresa está em torno de 2,4 milhões de barris diários.

Reuters |

Mas ele acrescentou que maior parte do petróleo será usado pelo Brasil, que almeja ser um exportador de produtos refinados, e que não pode contribuir para o esforço da Opep de reduzir a produção para elevar os preços.

"Atrasos não são uma preocupação para 2009", afirmou Gabrielli à Reuters na reunião anual do Fórum Econômico Global no sábado.

Do total de cerca de 2,4 milhões de barris produzidos pela Petrobras ao dia, ele disse que algo como 2 milhões de barris serão usados no Brasil.

Questionado se o país, que já disse que sua produção chegará a 3,3 milhões de barris ao dia em 2013, aspira participar da Organização dos Países Exportadores de Petróleo, ele disse que a questão não é relevante.

"Não temos nenhuma contribuição...Estamos bastante equilibrados entre importações e exportações."

Ele disse que o Brasil quer ser um exportador de produtos refinados, ao invés de petróleo bruto.

"Novas refinarias serão aperfeiçoadas para produzir diesel...Nós queremos ser um exportador de produtos, não um exportador de petróleo bruto."

O petróleo está atualmente cotado a pouco mais de 40 dólares o barril. O secretário-geral da Opep, Abdullah a-Badri, disse em Davos esta semana que mesmo 50 dólares não seriam suficientes para dar aos produtores uma renda adequada, e que a produção poderia sofrer novos cortes.

Gabrielli disse que a Petrobras baseou seus cálculos em preços relativamente baixos de cerca de 37 dólares o barril em 2009 e de cerca de 45 dólares para o longo prazo.

Ele disse esta semana que mesmo as reservas brasileiras na camada pré-sal, consideradas de exploração cara, são viáveis com esses níveis.

Outras empresas ao redor do mundo enxugaram orçamentos em resposta aos preços cadentes, a menor demanda e à dificuldade de obter crédito em meio à crise financeira o e ao clima de recessão.

Mas a Petrobras anunciou este mês que investirá 174,4 bilhões de dólares entre 2009 e 2013, alta de 55 por cento em relação ao investimento de 112,4 bilhões de dólares planejados para 2008-2012. Em 2009, o investimento previsto é de 28,6 bilhões de dólares.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG