Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Petrobras começa a explorar, nesta terça, jazidas de pré-sal

Vitória, 1 set (EFE) - A Petrobras iniciará, nesta terça-feira, a produção de petróleo das novas jazidas de pré-sal descobertas, que poderia mudar o mapa energético internacional e transformar o Brasil em um produtor e exportador da commodity em escala mundial. A inauguração oficial da produção da plataforma 1-ESS-103A, a 77 quilômetros do litoral do Espírito Santo, será feito em um ato do qual participará o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Por enquanto, serão apenas 18 mil barris por dia, em um teste em um poço exploratório da Bacia de Campos, com um investimento de R$ 58 milhões, disseram hoje executivos da Petrobras. É o início de uma história, de um processo, são os primeiros dados para confirmar uma nova província petrolífera, explicou em entrevista coletiva o diretor de Exploração e Produção da Petrobras, no Brasil, Guilherme Estrella. O pré-sal está situado abaixo do leito do oceano Atlântico na Bacia de Campos. Segundo o Governo, contém reservas de 80 bilhões de barris, suficientes para impulsionar o Brasil à condição de potência petrolífera mundial, equivalente à Líbia ou à Nigéria.

EFE |

Atualmente, a produção brasileira é de cerca de dois milhões de barris de petróleo por dia (bpd) e a Petrobras tem planos de elevá-la a 2,8 milhões de bpd até 2015.

No entanto, Lula reiterou que esse petróleo não será exportado cru, mas sob a forma de combustíveis de alta qualidade, pelo que a Petrobras está investindo US$ 35 bilhões na construção de seis novas refinarias e na modernização de 11 já existentes.

O poço de exploração 1-ESS-103A, que amanhã atrairá da indústria petrolífera internacional, tem uma profundidade de 4.700 metros, incluindo 1.375 metros de água e 150 metros de uma crosta de sal, antes de chegar às jazidas rochosas onde esse petróleo ficou preso há milhões de anos.

A Petrobras explicou que, nos últimos dois anos, investiu R$ 1,7 bilhão na perfuração de 15 poços como este e "oito deles foram testados e indicaram a presença de petróleo leve de alto valor comercial e grande quantidade de gás natural".

Porém, estas jazidas não foram declaradas comercialmente viáveis e ainda estão em fase de avaliação.

O poço que Lula inaugurará coletará dados científicos que podem ser usados para outras jazidas, para avaliar o verdadeiro potencial destas reservas em vários campos marítimos.

"A coleta deste petróleo é o primeiro grande evento deste processo", disse Estrella, cuja prudência contrasta com a do Governo.

Lula disse que essa riqueza será investida "para pagar a dívida histórica do Brasil com os pobres" e aplicar na educação.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, calcula que será possível dobrar as reservas internacionais do Brasil, hoje em pouco mais de US$ 200 bilhões.

Por enquanto, sabe-se que a camada de sal se estende por uma área de 800 quilômetros de comprimento e 200 de largura do Espírito Santo até o estado de Santa Catarina e o petróleo está a profundidades de entre cinco mil e sete mil metros.

A expectativa está concentrada no campo de Tupi, na Bacia de Santos, onde foram localizados entre cinco bilhões e sete bilhões de barris comercialmente aproveitáveis, segundo a Petrobras.

Estrella reiterou hoje que os testes de produção da jazida de Tupi, com 100 mil bpd, começarão em março, enquanto seguem as explorações e perfurações em outras áreas tradicionais e do pré-sal.

EFE ol/db

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG