RIO - A Petrobras Biocombustível espera investir R$ 945 milhões este ano, dos quais 91% no Brasil. Entre 2009 e 2013 a previsão de investimentos da subsidiária da Petrobras é de US$ 2,4 bilhões.

Do total para o quinquênio, o setor de etanol receberá US$ 1,941 bilhão, enquanto o biodiesel ficará com US$ 480 milhões.

Somada aos investimentos da Petrobras em logística e pesquisa e desenvolvimento para a área de biocombustíveis, a projeção salta para US$ 3,3 bilhões. O setor de logística e abastecimento receberá outros US$ 400 milhões da Petrobras, a maior parte para a construção do alcoolduto Uberaba-Paulínia, que deve entrar em operação no final de 2010.

Já na área de Pesquisa & Desenvolvimento, a Petrobras aportará US$ 530 milhões voltados para os biocombustíveis. Em 2009, a P & D aplicada para o setor receberá R$ 162,3 milhões para desenvolvimento de tecnologia e soluções via Cenpes, o centro de tecnologia da companhia. No ano passado, o setor de P & D recebeu R$ 77 milhões para estudos na área de biocombustíveis.

Do total de US$ 2,4 bilhões que serão investidos pela companhia, o setor de etanol receberá US$ 1,941 bilhão, enquanto o biodiesel ficará com US$ 480 milhões. Outros US$ 4 milhões serão investidos em ativos imobilizados.

A projeção da Petrobras Biocombustível é de que a produção de etanol atinja 339 milhões de litros este ano, com a aquisição de participação em unidades já existentes ou a compra de fatias de projetos que estão em vias de entrar em operação. Os novos projetos, em que a companhia tem parceria desde a concepção, começam a entrar em produção em 2010. No total, a expectativa é de que os projetos novos respondam por 1,9 bilhão de litros produzidos em 2013, enquanto aqueles em que houver aquisição de participação, a produção de álcool deve atingir 1,791 bilhão de litros em 2013.

Para o biodiesel, a meta de produção da Petrobras Biocombustível é de 640 milhões de litros no Brasil em 2013. O volume deve ser suficiente para responder por 24% da demanda legal esperada de 5% de biodiesel que deve ser adicionado ao óleo diesel vendido. No exterior, a produção deve atingir 433 milhões de litros, dos quais 318 milhões em Portugal, no Projeto Belém, tocado em parceria com a Galp, e 115 milhões de produção na África. Dos volumes produzidos no exterior, a Petrobras tem direito a 50%.

Para 2009, a expectativa é de produção de 115 milhões de litros de biodiesel, com a totalidade fabricada no país. De acordo com o diretor Miguel Rossetto, a produção de biodiesel da subsidiária hoje é basicamente a partir de algodão e soja, mas que no médio prazo a empresa espera utilizar também pinhão manso, dendê, girassol e mamona.

(Rafael Rosas | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.