O gerente executivo da Petrobras para a América Latina, Fernando de Freitas, disse nesta sexta-feira em Santiago que a estatal brasileira entra no Chile para competir no mercado de forma limpa, por um período extenso e com a intenção de entrar no negócio do Gás Natural Líquido (GNL).


"Estamos aqui para competir obedecendo a todas as leis da ética", declarou o executivo em entrevista coletiva na capital chilena.

A Petrobras anunciou nesta sexta-feira sua entrada no mercado chileno da distribuição de combustível, depois da compra dos ativos da americana Exxon Mobil Corp no país.

A transação inclui 230 postos de gasolina e outros negócios anexos, com exceção do de lubrificantes, em uma operação avaliada em US$ 400 milhões.

Fernando de Freitas anunciou que a entrada da estatal brasileira no Chile será por um período extenso e que o tempo de transição para a instalação no país durará nove meses. "Não estamos aqui por pouco tempo", afirmou, revelando que serão investidos US$ 90 milhões de dólares na mudança de imagem e em outros assuntos ligados à segurança.

A primeira processadora de GNL do Chile deve ser terminada em 2009. Uma segunda usina está prevista no porto de Mejillones, para abastecer as grandes mineradoras que atuam no norte do Chile.

Leia mais sobre Petrobras

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.