O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, admitiu hoje que a estatal poderá reduzir os preços do diesel e da gasolina, mas ressaltou que a queda está atrelada à estabilidade dos preços do barril do petróleo e do câmbio nos patamares atuais por um prazo de três a quatro meses. Gabrielli fez as declarações em entrevista à TV Brasil, que será transmitida hoje às 22 horas.

Segundo informações da Agência Brasil, Gabrielli enfatizou que a manutenção do preço do petróleo no nível de US$ 40 por barril no mercado internacional não é suficiente para a queda dos preços da gasolina e diesel. "Não é só uma questão do preço do barril do petróleo estar abaixo ou acima dos US$ 40. É necessário, também, que se observe o preço da gasolina e, essencialmente, a taxa de câmbio daqui a três meses", disse, e acrescentou: "Se essas três circunstâncias de hoje se mantiverem, provavelmente, em três a quatro meses, se se olhar o mercado futuro, provavelmente o preço da gasolina e o preço do diesel terão que se ajustar no mercado brasileiro".

"Não há como você descolar, em uma situação de estabilidade, o mercado brasileiro do preço internacional e do câmbio", apontou. Em 2 de maio de 2008, após quase três anos sem reajuste, os preços da gasolina e do diesel subiram 10% e 15%, respectivamente. Na época, os preços do barril do petróleo no mercado externo estavam na faixa dos US$ 140.

A entrevista com Gabrielli irá ao ar às 22 horas. Em São Paulo, a TV Brasil é sintonizada nos canais 4 na Net, 116 na Sky, 181 na TVA, 63 no UHF Digital e 69 no analógico. No Rio de Janeiro, a emissora está disponível nos canais 18 na Net, 116 na Sky, 32 no UHF analógico, 41 no digital e 2 no VHF analógico. Já no Distrito Federal, a TV Brasil é sintonizada nos canais 16 na Net, 116 na Sky, 2 no UHF analógico e 15 no digital.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.