Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Petrobras abre licitação para duto entre Tupi e Mexilhão

A Petrobras abriu licitação para construção de um gasoduto ligando o projeto-piloto de Tupi e a plataforma do campo de Mexilhão. O gasoduto terá 200 quilômetros de extensão e terá capacidade para transportar até 10 milhões de metros cúbicos de gás por dia, explicou o gerente-geral da unidade de negócios da bacia de Santos da Petrobras, José Luiz Marcusso.

Agência Estado |

De acordo com o executivo, o projeto-piloto de Tupi no pré-sal da Bacia de Santos iniciará operação em 2010, produzindo 3 milhões de metros cúbicos por dia de gás e 100 mil barris diários de petróleo. Antes disso, em março de 2009, está prevista a primeira produção de Tupi, durante a realização do chamado teste de longa duração (TLD). Nesse procedimento, a estatal extrairá 30 mil barris de petróleo por dia. "Podemos dizer que o TLD e o projeto-piloto de Tupi demandarão investimentos acima de US$ 2 bilhões", revelou Marcusso.

Com a interligação do projeto-piloto de Tupi e da plataforma de Mexilhão, o volume de gás que poderá ser escoado pela estrutura somará 35 milhões de metros cúbicos por dia. A plataforma irá retirar 15 milhões de metros cúbicos de Mexilhão e receberá mais 10 milhões dos campos Tambaú e Uruguá. "Por conta disso, já pensamos em futuras ampliações da unidade de tratamento de gás de Caraguatatuba", disse.

Na concepção atual, a unidade de tratamento terá capacidade de processar 21 milhões de metros cúbicos de gás a partir de 2010.

Mexilhão

Marcusso afirmou que o escoamento efetivo do gás natural a ser extraído do campo de Mexilhão ocorrerá somente a partir de 2010. "O escoamento depende da conclusão do gasoduto entre Caraguatatuba e Taubaté e da unidade de tratamento de gás de Caraguatatuba, previstos para o início de 2010", disse o executivo em evento realizado em Santos.

De acordo com Marcusso, o campo de Mexilhão já teria condições de entrar em operação a partir do segundo semestre de 2009 com a chegada da plataforma que irá explorar a área. "Em janeiro, a jaqueta da plataforma sairá de Niterói para Mexilhão. Em fevereiro, partirão os módulos do projeto", explicou.

Segundo ele, a plataforma de Mexilhão produzirá 15 milhões de metros cúbicos por dia. Entretanto, a fase inicial do projeto prevê a produção diária de apenas 10 milhões de metros cúbicos por dia.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG