SÃO PAULO - O último pregão da semana foi de recuperação para as bolsas européias. O aumento do apoio de parlamentares norte-americanos ao plano de socorro ao mercado financeiro do país deu o tom otimista para as operações do dia.

O pacote de US$ 700 bilhões para resgatar ativos comprometidos do mercado será votado mais uma vez hoje pelo congresso daquele país.

Também colaborou para a melhora de humor dos investidores os rumores de que o Banco Central da Inglaterra pode vir a reduzir o juro básico do país em reunião da próxima semana.

O FTSE-100, de Londres, fechou aos 4.980 pontos, com valorização de 2,26%. Em Frankfurt, o DAX ganhou 2,41%, para 5.797 pontos. O CAC 40, de Paris, encerrou com 2,96% de valorização, aos 4.080 pontos. Também em Wall Street as bolsas apontavam alta de mais de 2% nesta tarde.

A alta foi liderada por ações do setor bancário, impulsionadas pela hipótese de redução de juros na região, devido à desaceleração econômica que vem sendo promovida pela crise financeira global.

As ações da financeira HBOS subiram 17,87%, as do Lloyds ganharam 10,78% e as do Barclays avançaram 11,10%, em Londres. No mercado alemão, as ações do Deutsche Postbank fecharam com valorização de 8,81%.

No setor produtivo a valorização mais significativa veio dos papéis da Regal Petroleum, que subiram 50,60% na bolsa londrina, após notícia de que a companhia teria recebido uma oferta compra de US$ 1,2 bilhão da Royal Dutch Shell.

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.