SÃO PAULO - As bolsas européias encerraram com perdas pelo terceiro pregão consecutivo, ainda sob influência das preocupações com a desaceleração econômica local e global. Os reflexos tiveram maior peso nesta jornada para ações de empresas do setor varejista, que dependem diretamente da demanda privada. Os bancos também continuaram pressionando os índices e a influência negativa das bolsas de Nova York contribuiu para o movimento na Europa.

O FTSE-100, de Londres, fechou com queda de 0,89%, aos 5.318 pontos. Em Frankfurt, o DAX cedeu 0,51%, para 6.178 pontos. Em Paris, o CAC 40 terminou com 4.249 pontos, com recuo de 0,81%.

As ações da Home Retail Group caíram 5,69% em Londres após a empresa reportar redução de vendas no segundo trimestre. Os papéis da rede de supermercados William Morrison declinaram 6,11% após a companhia informar que espera uma segunda metade de ano árdua para os negócios.

No setor bancário, os papéis do Lehman Brothers, que divulgou ontem prejuízo de US 3,9 bilhões, apontavam baixa de mais de 35% após a agência de classificação de risco Moody´s afirmar que a instituição precisa encontrar um forte parceiro financeiro ou estará na iminência de ter sua classificação de risco reduzida.

As ações do Barclays perderam 7,45% e as do HSBC declinaram 2,33%, ambas em Londres. Os papéis da seguradora francesa Axa recuaram 3,34% após o banco UBS reduzir sua recomendação dos papéis da companhia de compra para neutro.

Na bolsa alemã, as ações do Deutsche Bank caíram 3,50% depois de rumores de que banco possa estar negociando com o Deutsche Post a aquisição de uma participação no Deutsche Postbank, cujos papéis subiram apenas 0,13%.

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.