Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Pesquisas apontam que crise afetou pouco o emprego nos EUA

Nova York, 1 out (EFE).- Os problemas econômicos dos Estados Unidos e as dificuldades registradas especialmente pelos mercados financeiros e imobiliários tiveram em setembro um efeito relativamente suave no emprego nacional, segundo dados publicados hoje por várias entidades privadas de análise.

EFE |

A firma Challenger, Gray & Christmas informou que em setembro foi anunciado no país o corte de 95.094 postos de trabalho, número 7,2% superior em relação ao mês anterior e 32,5% maior frente a um ano atrás.

Neste ano, houve dois meses em que se anunciaram mais demitidos: em maio, 103.522, e em julho, 103.312.

"Setembro de 2008 será lembrado sem dúvida pelo colapso de várias firmas de Wall Street e os esforços urgentes do Governo para estabilizar os mercados, mas estes eventos surpreendentemente se traduziram em (...) poucos cortes no setor financeiro", assegurou a entidade.

Dos mais de 95 mil empregos cuja eliminação foi anunciada em setembro, só 8.244 foram do setor financeiro (8,6%), que ficou atrás das áreas de informática, automobilística e têxtil.

A empresa de análise ADP também publicou hoje seus dados de setembro e deduziu que a perda real líquida de empregos no setor industrial dos EUA foi de oito mil empregos frente a agosto, número superior aos 37 mil do mês anterior.

"Pode ser que leve várias semanas ou meses para que as seqüelas da convulsão de Wall Street de setembro afetem os números de emprego", assegurou o executivo-chefe do Challenger, Gray & Christmas, John Challenger.

Se no setor privado os cortes de emprego de setembro surpreenderam os analistas por serem mais baixos que o esperado, no público não tanto, já que o número de postos que as agências públicas anunciaram que recortarão duplicou em setembro frente aos números de há um ano.

Em conjunto, segundo a empresa de análise, nos EUA foi anunciado, nos três primeiros trimestres do ano, a eliminação de mais de 763 mil empregos, número 30% maior frente ao mesmo período de 2007.

Ao longo de 2008, praticamente foram anunciados os mesmos demitidos que em todo ano de 2007.

Apesar de os dados do emprego em setembro não terem sido tão negativos como se esperava, a empresa privada de análise The Conference Board alertou que em breve a situação piorará.

Segundo seus cálculos, só em setembro os anúncios de ofertas de trabalho na rede caíram 4,8% frente ao mês anterior e 6,2% em relação há um ano.

Na sexta-feira, serão publicados os dados oficiais sobre o emprego nos EUA. EFE mgl/rr

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG