Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Pesquisa diz que cereais matinais têm muito açúcar

Estudo da Pro Teste - Associação Brasileira de Defesa do Consumidor afirma que o teor de açúcar nos principais cereais matinais comercializados no Brasil está muito acima do ideal para o consumo de crianças. A pesquisa divulgada hoje pelo instituto analisou as 18 marcas mais vendidas no País, produzidas pelas empresas Kelloggs, Nestlé e Nutrifoods.

Agência Estado |

Os cereais apresentaram de 7,5 a 13 gramas de açúcar por porção de 30 gramas do cereal. A Pro Teste alega que alimentos extremamente doces podem estragar os hábitos alimentares das crianças, "porque as comidas saudáveis e pouco adocicadas deixam de agradar". Também aponta que o consumo exagerado pode aumentar o risco de diabete e obesidade.

Em um comunicado à imprensa, a Nestlé afirma que seus cereais matinais, em uma porção de 30g, "fornecem em média uma quantidade de açúcar que representa no máximo 3% da energia necessária para uma dieta diária". A nutricionista Susy Marcos Coutsoucos, responsável pelo site Nutrikids, opina que os cereais matinas não oferecem risco às crianças maiores de 6 anos, mas devem ser consumidos apenas duas ou três vezes por semana no café da manhã. "Esse critério vale para qualquer alimento: deve fazer parte de uma dieta variada", afirma Susy.

O trabalho da Pro Teste também questiona a quantidade de sódio presente na maioria das marcas. A bióloga Fernanda Ribeiro, responsável pelas análises, afirma que 15 cereais matinais apresentaram teor excessivo da substância: uma porção de 30 gramas desses produtos seria capaz de suprir 50% da necessidade diária de sódio de uma criança de 4 a 6 anos.

A Nestlé afirma que a quantidade de sódio nos seus produtos não apresenta nenhum risco para o seu público-alvo, formado por crianças acima de 6 anos.

Para a Pro Teste também seria necessário que os produtos apresentassem mais que 6 gramas de fibras para cada porção de 100 gramas. "As pessoas compram cereais matinais imaginando que são alimentos ricos em fibras", alega Fernanda. Em nota à imprensa, a Kelloggs afirma que alguns dos seus produtos apresentam "alto teor de fibra alimentar" e todos estão de acordo com as "regulamentações atuais e aplicáveis".

Fernanda concorda que os cereais cumprem as exigências da legislação brasileira. Mas afirma que a Pro Teste pretende fomentar regras mais restritivas para a composição dos produtos. A associação publicou hoje no seu site (www.proteste.org.br) um abaixo-assinado, em busca de apoiadores da iniciativa.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG