Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Peruanos comemoram investimentos da Gerdau

O anúncio do grupo siderúrgico brasileiro Gerdau de que investirá quase 1,4 bilhão de dólares no Peru foi recebido com satisfação no país andino, que a partir desse investimento pode se tornar auto-suficiente e até exportador de aço.

AFP |

O investimento, destinado à usina SiderPerú, faz parte do projeto do governo do presidente Alan García de dar prioridade ao Brasil e de fazer que grandes empresas brasileiras tenham presença no Peru.

Com esse objetivo, García viajará no dia 18 deste mês para São Paulo, onde se reunirá com Luiz Inácio Lula da Silva para incentivar os empresários a investir ainda mais. Na capital paulista, abrirá um grande fórum econômico e comercial.

Com essa injeção de capital brasileiro, "a capacidade de produção da usina siderúrgica, localizada na cidade portuária de Chimbote (norte), será de três milhões de toneladas em 2013", disse o presidente-executivo da empresa, André Gerdau Johannpeter.

O analista econômico Gonzalo Galdos considerou que a SiderPerú se consolida, adquirindo projeção internacional, depois de ter sido beneficiada pela nacionalização da indústria de aço na Venezuela.

"A Gerdau, certamente, viu nisso a oportunidade de consolidar sua posição no Pacífico e, atualmente, só encontra concorrência na Siderúrgica de Huachipato, em Concepción, Chile", considerou Galdos, citado pelo jornal econômico "Gestión".

Já Jorge Sánchez, especialista no setor de construção da Macroconsult, comentou que "a Gerdau é uma empresa muito grande e já se sabia que iria investir de maneira muito agressiva".

Hoje, a SiderPerú produz 450.000 toneladas de aço. Com o novo investimento, multiplicará em mais de seis vezes a capacidade de produção da usina.

Os trabalhos de ampliação da siderúrgica vão gerar 4.000 empregos diretos, 2.000 vagas adicionais permanentes e 6.000 empregos indiretos ao entrar em funcionamento, segundo dados da empresa.

"Desse centro de produção, que se tornará o mais moderno da América Latina, países como Colômbia e Chile serão abastecidos de aço e, eventualmente, serão feitas remessas para países da Ásia", afirmou Gerdau.

O investimento de 1,364 bilhão de dólares será realizado em duas etapas: a primeira será concluída em 2011, com a usina produzindo 1,5 milhão de toneladas; enquanto que a segunda terminará em 2013, com uma capacidade de produção de três milhões de toneladas entre produtos planos e longos.

A Gerdau tem uma participação na Siderperú de 83,27% do capital. A empresa brasileira havia adquirido em junho o controle da então estatal SiderPerú em sua privatização.

rm/dm/tt

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG