Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Perdas em Wall Street puxam queda de 0,83% na Bovespa

SÃO PAULO - A instabilidade externa falou mais alto e a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) encerrou a terça-feira apontando para baixo. Depois de subir 1,5% na máxima do dia, o Ibovespa encerrou com perda de 0,83%, aos 37.

Valor Online |

968 pontos. O giro financeiro ficou em R$ 4,30 bilhões.

As vendas ganharam corpo na última hora de sessão, depois que os índices em Wall Street aprofundaram as perdas do dia. Com cerca de meia hora de pregão pela frente, o Dow Jones caía 2,33%, enquanto a Nasdaq se desvalorizava 0,80%. As previsões pouco otimistas da FedEx e Texas Instruments acabaram pesando mais sobre o humor do investidor, que ainda aguarda o resgate às montadores do país.

Segundo operador de mercado que prefere não se identificar, como sempre, a bolsa brasileira acompanhou o mercado externo, mas ele avalia que a queda não é algo tão negativo se fopr considerado o espaço para realização que existia depois do ganho de 8,3% de ontem e o noticiário pouco animador do dia. "O mercado tem um pouco mais de consistência, mas, de maneira geral, o investidor segue receoso."
Para o especialista, os negócios nesse período do ano estão basicamente com os especuladores, pois nenhum grande investidor, seja ele interno ou externo, vai montar posição faltando 20 dias para encerrar o ano. "Ninguém tem cacife para correr esse risco. Possibilidade de piora até existe, mas para melhorar ainda está difícil."
No âmbito corporativo, os bancos seguiram seus pares internacionais e puxaram as perdas dentro do índice. Itaú PN caiu 0,86%, para R$ 29,65, com o terceiro maior volume do dia. Banco do Brasil ON se desvalorizou 1,28%, fechando a R$ 16,95, e as units do Unibanco caíram 1,38%, para R$ 16,36. Na contramão, Bradesco PN subiu 0,19%, para R$ 25,30.

Entre os carros-chefe, Petrobras PN cedeu 0,49%, fechando a R$ 20,11, devolvendo os ganhos do período da tarde. Vale PNA fechou com leve alta de 0,04%, para R$ 23,72.

Confirmando os ganhos de ontem, Gerdau PN subiu 2,17%, para R$ 15,94, CSN ON ganhou 1,28%, para R$ 26,80, e Usiminas PNA aumentou 2,26%, negociada a R$ 26,20.

Destaque de alta para o ativo PN da VCP, que apresentou valorização de 11,10%, para R$ 15,41. Ganho de 5,50% para o ativo ON da BM & FBovespa, que fechou a R$ 5,75
Puxando as perdas, o papel PN do Pão de Açúcar caiu 6,31%, para R$ 35,60. O Credit Suisse e o Citigroup rebaixaram a recomendação do papel. Perda acentuada também para Gol PN, que cedeu 7,20%, para R$ 9,53. CCR Rodovias ON e América Latina Logística Unit perderam mais de 6% cada.

Fora do índice, o destaque, pelo segundo dia seguido, ficou com as ações ON da Positivo, que fecharam com alta de 46,10%, para R$ 9,0, seguindo uma alta de 30% na segunda-feira. A empresa confirmou que o UBS Pactual assessora a diretoria em eventuais propostas de aquisição. Ontem surgiram rumores de que a Lenovo e a Dell estariam interessadas em comprar a fabricante de computadores. Na máxima do dia, o papel mais que dobrou de preço, negociado a R$ 13,90.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG