Pelo segundo mês consecutivo, a inflação medida pelo Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) bateu a rentabilidade dos principais investimentos financeiros no País. O indicador subiu 1,76% em julho, ante a média líquida de 1,01% dos fundos de renda fixa, 0,84% dos contratos de depósitos interfinanceiros (DIs) e 0,69% da poupança.

Isso significa que o investidor teve o poder aquisitivo reduzido no período, já que o ganho de suas aplicações foi menor que o aumento dos preços.

O Índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Ibovespa) ficou na lanterna do ranking de investimentos e amargou prejuízo de 8,48% no período. Em junho, a bolsa paulista já havia fechado em queda de 10,43%, o pior desempenho mensal desde abril de 2004. No acumulado do ano, entretanto, as perdas são um pouco menores, de 6,86%.

A origem de tanto mau humor continua sendo a economia americana, mais especificamente o mercado de hipotecas de alto risco, o chamado subprime. O administrador de investimentos Fabio Colombo lembra que os problemas com as empresas do setor hipotecário americano Fannie Mae e Freddie Mac sacudiram o mercado financeiro mundial e obrigaram o governo americano a anunciar um plano de socorro para evitar prejuízos maiores.

Para agosto, a expectativa é que os indicadores americanos continuem ditando o ritmo dos negócios no mercado acionário mundial. No Brasil, outro ponto importante é o comportamento das commodities, já que a Bovespa está muito ligada às empresas de mineração, siderurgia e petróleo, afirma o gestor da corretora Umuarama Rafael Moysés. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.