Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Pequeno varejo paulista vende 8,4% mais no semestre, diz Fecomercio

SÃO PAULO - Os pequenos varejistas do Estado de São Paulo tiveram na primeira metade deste ano um aumento de 8,4% nas vendas em comparação com o mesmo intervalo do ano passado. Só no mês de junho, a evolução do faturamento foi de 10,2% perante o mesmo mês de 2007. Conforme dados da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio), o melhor desempenho foi verificado nas lojas de material de construção, onde as vendas subiram 32,4% no mês e 31,2% no primeiro semestre.

Valor Online |

Reformas e pequenas construções continuam movimentando a atividade nesses estabelecimentos e a tendência ainda deve se sustentar, avalia a entidade. O segundo melhor desempenho das vendas foi registrado pelo conjunto de pequenas lojas de vestuário, tecido e calçados, onde o faturamento aumentou 10,4% perante o mês de junho de 2007 e elevou-se 9,4% no acumulado dos seis primeiros meses do ano.

No pequeno comércio paulista de móveis e decorações as vendas aumentaram 8% em junho e 7,9% na primeira metade do ano. O aquecimento do setor imobiliário tem influenciado positivamente esse segmento.

Já as lojas de eletroeletrônicos tiveram um mês de junho aquecido, com alta de 6,9% no faturamento. No acumulado do ano, entretanto, esse segmento indica estabilidade, com queda de 0,1% entre janeiro e junho deste ano e o mesmo intervalo de 2007.

Para as pequenas farmácias e perfumarias a concorrência com grandes redes ainda é um desafio. As vendas no primeiro semestre já recuaram 1% perante a primeira metade do ano passado. No mês de junho o segmento viu recuperação e as vendas tiveram aumento de 1% em relação ao mesmo mês de 2007.

Comportamento similar foi anotado no pequeno varejo paulistano de alimentos e bebidas. A alta no mês foi de 0,8%, mas no período de janeiro a junho a baixa acumulada é de 1% também. Para esses lojistas também vem sendo difícil concorrer com grandes supermercados e a Fecomercio não vê possibilidade de recuperação nos próximos meses.

O pior cenário no mês e no acumulado deste ano é das lojas de autopeças e acessórios. A renovação da frota diminuiu sensivelmente a demanda por reparos e o faturamento desses estabelecimentos caiu 19,4% no primeiro semestre deste ano, com queda de 14,3% no confronto entre os meses de junho de 2007 e deste ano.

(Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG