O ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos, Mangabeira Unger, defendeu hoje a modernização e o reaparelhamento da Marinha, até com o uso do submarino nuclear, para atuar no controle amplo e eficaz do mar, inclusive nas áreas de plataformas petrolíferas. Ele lembrou a necessidade cada vez maior da vigilância marítima por causa do início da exploração do petróleo na camada pré-sal no campo de Jubarte, no Espírito Santo.

Não quis, no entanto, reivindicar recursos do pré-sal para as Forças Armadas. "O pré-sal não está entre as minhas atribuições e por isso prefiro não comentar", afirmou.

O comando da Marinha reivindica R$ 100 milhões para iniciar a construção de novos navios-patrulha e considera os recursos atuais insuficientes para a vigilância das plataformas. Outra reivindicação é a liberação de R$ 3,2 bilhões de royalties do petróleo devidos à Marinha. Mas o ministro não quis entrar na polêmica. Apenas reforçou a necessidade de desenvolvimento financeiro e tecnológico das Forças Armadas.

O ministro esteve no Rio para discutir com oficiais do Exército, da Marinha e da Aeronáutica a Estratégia Nacional de Defesa, plano elaborado com o ministro da Defesa, Nelson Jobim, que será entregue ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Entre outros pontos, o ministro defendeu incentivos tributários para empresas privadas e uma reestruturação das empresas públicas que atuam no setor.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.