Bruxelas, 22 out (EFE).- Os pedidos à indústria nos países da zona do euro e no total da União Europeia (UE) continuaram subindo em agosto, com altas de 2% e de 1,2%, respectivamente.

Na comparação com o mesmo mês de 2008, entretanto, as encomendas à indústria sofreram um brusco retrocesso, de 23,1% na área da moeda única e de 22,3% nos 27 países do bloco europeu.

Segundo os dados divulgados hoje pelo Eurostat, o escritório de estatísticas da UE, dos 21 países para os quais há dados disponíveis, em 13 deles houve queda na quantidade de pedidos industriais em agosto, com destaque para Irlanda (-14,6%), Polônia (-10,6%) e Itália (-6,4%).

As altas mais importantes dos pedidos industriais em relação ao mês anterior ocorreram em Eslováquia (11,8%), República Tcheca (3,2%) e França (3%).

Este é o quarto mês consecutivo no qual as encomendas à indústria aumentaram na zona do euro, apesar de a percentagem ter sido menor do que em junho (4,2%) e julho (3%).

Excluídas a construção naval e a produção de equipamentos ferroviários e aeroespaciais, cuja evolução, lembra o Eurostat, costuma ser mais volátil, a alta mensal das encomendas industriais foi de 2,4% na área da moeda única e de 2% na UE.

Na zona do euro, apenas os pedidos de bens intermediários avançaram (3,8%), enquanto caíram os de consumo não durável (-2,5%), de consumo durável (-1,6%) e de investimento (-0,3%).

No conjunto da UE, as encomendas de bens de investimento registraram o maior aumento (2,1%), seguidos dos intermediários (0,5%), enquanto os pedidos de produtos de consumo não durável e durável caíram 1,5% e 0,4%, respectivamente.

Na comparação com o mesmo mês de 2008, as encomendas de bens não duráveis caíram 7,7% na zona do euro e 4,9% na UE, enquanto as de consumo durável desceram 18,5% e 10,5%, respectivamente.

Os pedidos de bens intermediários também caíram na zona da moeda única (-25,3%) e na UE (-24,8%), assim como os de investimento, 25,7% e 25,3%, respectivamente. EFE vd/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.