Tamanho do texto

RIO - O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, disse hoje que o pedido de esclarecimento feito ontem pela Câmara dos Deputados ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e à Agência Nacional de Águas (ANA) sobre a mudança do local de construção da Hidrelétrica de Jirau, em Rondônia, não deve atrasar o início das obras da usina. Minc defendeu que o novo local estabelecido pelo consórcio Energia Sustentável do Brasil, vencedor do leilão para a construção do empreendimento, vai diminuir os custos e também os impactos ambientais. A mudança do local inundará 80% a menos de área do que o projeto original, graças a uma nova tecnologia chamada Turbinas Bulbo, que aproveita não apenas a queda dágua, como também o movimento horizontal. Acabou a época dos licenciamentos de obras que alagavam grandes áreas , afirmou o ministro.

Carlos Minc participa da 9ª Reunião de Ministros do Meio Ambiente do Mercosul, no Jardim Botânico do Rio. No fim do encontro, à tarde, os ministros vão divulgar o primeiro relatório feito pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), que fala sobre a integração do comércio e meio ambiente no Mercosul.

(Agência Brasil)