em sua forma atual - Home - iG" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Paulson quer manter Fannie Mae e Freddie Mac em sua forma atual

O secretário americano do Tesouro, Henry Paulson, anunciou nesta sexta-feira que deseja manter os dois gigantes do refinanciamento hipotecário Fannie Mae e Freddie Mac em sua forma atual, enquanto os mercados especulam sobre uma intervenção do governo.

AFP |

"Hoje nosso objetivo principal é apoiar Fannie Mae e Freddie Mac em sua forma atual", indicou Paulson em um breve comunicado, publicado em resposta à onda de desconfiança dos mercados com relação às duas companhias, básicas para a economia americana.

O texto de Paulson não faz nenhuma alusão a uma possível intervenção do governo ou nacionalização das duas empresas. Suas declarações foram apresentadas como um comentário sobre as informações da imprensa segundo as quais o governo estaria estudando "medidas de urgência" para salvar as empresas.

"Apreciamos os esforços importantes do Congresso para terminar a reforma legislativa que vai ajudar a gerar confiança nessas duas companhias", disse, referindo-se ao texto de lei em debate no Parlamento sobre o imobiliário.

"Mantemos o diálogo com os reguladores e as companhias", afirmou o ministro. O regulador de Fannie Mae e Freddie Mac, o OFHEO, "continuará trabalhando com as companhias, enquanto elas adotam medidas necessárias para viabilizar a continuidade de suas missões de serviço público", concluiu Paulson.

Em baixa desde o início da semana, as ações de Fannie Mae e Freddie Mac abriram em queda livre nesta sexta-feira, porque segundo o New York Times a administração Bush começou a pensar em socorrer os dois grupos, muitos enfraquecidos pela crise dos créditos imobiliários de alto risco, chamados "subprime".

"Um decisão como esta significaria que as ações de Fannie Mae e Freddie Mac não valem quase nada, ou até mesmo nada", ressaltaram os analistas da Schaeffers.

A ação Fannie Mae caía 36,82%, cotada a US$ 8,34, e a ação da Freddie Mac perdia 42,88%, negociada a US$ 4,57. A queda destas ações está colocando as Bolsas de Nova York no vermelho.

chr-fga/lm

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG