O presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, afirmou que as centrais sindicais mostraram ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva e aos ministros que é muito grave a crise e seus reflexos no mercado de trabalho. E o presidente ficou muito sensível, é o que nós achamos, disse Paulinho.

Ainda segundo o presidente da Força, Lula afirmou que até o final de janeiro ficará à disposição para debates sobre os efeitos da crise. Paulinho acredita que nas próximas duas semanas o governo deverá anunciar novas medidas.

Sobre a reivindicação das centrais de que haverá exigência de contrapartidas das empresas que receberem benefícios tributários ou empréstimos de bancos públicos, Paulinho disse que o presidente "ficou de analisar a sugestão". "Não é possível que as empresas recebam esses recursos e ainda fiquem demitindo."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.