SÃO PAULO - Começou mal o governo argentino como dono da Aerolíneas Argentinas. Apesar das promessas oficiais de normalidade operacional até 31 de julho, houve atrasos e cancelamentos de vôos no fim de semana. A situação não mudou muito nesta manhã na Argentina. Dentre as explicações, houve a admissão de insuficiência de aviões para tantos passageiros.

Em entrevista ontem à Radio 10, o gerente-geral da empresa aérea, Julio Alak, explicou que o excesso de bilhetes vendidos foi a causa dos problemas. A expectativa é de que haja a normalização dos serviços ao longo desta semana.

O funcionário detalhou que o Estado argentino assumiu na semana passada a direção da Aerolíneas e encontrou uma grande venda de passagens e uma reduzida frota de aviões. A maioria das aeronaves estava fora de serviço por falta de manutenção, declarou Alak.

Na segunda-feira passada, o grupo espanhol Marsans formalizou a transferência ao Estado argentino da Aerolíneas Argentinas e de sua subsidiária Austral.

Leia mais sobre: Aerolíneas Argentinas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.