Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Parlamento irlandês aprova lei de garantia dos depósitos bancários

O Parlamento irlandês adotou nesta quinta-feira por ampla maioria uma controversa lei que dá garantia governamental ilimitada aos bancos nacionais, para protegê-los da crise financeira mundial.

AFP |

A câmara baixa do Parlamento aprovou o projeto por 124 votos a 18 e o Senado por 39 a 5.

O governo irlandês anunciou nesta terça-feira que garantirá por dois anos os depósitos de seis grandes bancos; estes depósitos, segundo estimativas, somam pelo menos 400 bilhões de euros (cerca de 560 bilhões de dólares), o dobro do Produto Interno Bruto (PIB, total das riquezas produzidas em um ano) desse país europeu.

A garantia beneficia os bancos Allied Irish Bank, Bank of Ireland, Anglo Irish Bank, Irish Life and Permanent, Irish Nationwide Building Society e Educational Building Society, cobrindo as poupanças, os depósitos comerciais e as obrigações.

A medida foi denunciada quarta-feira pela Associação dos Banqueiros Britânicos (BBA), por considerá-la uma "distorção das regras de concorrência", porque colocaria os bancos ingleses e da Irlanda do Norte em situação de "desvantagem".

Segundo o jornal britânico The Guardian, o ministro britânico das Finanças, Alistair Darling, pediu quarta-feira duas vezes a seu colega irlandês, Brian Lenihan, que tenha cuidado porque a aprovação da lei pode provocar uma "evasão" das poupanças britânicas para bancos irlandeses.

Na Grã-Bretanha, só estão garantidos os depósitos de até 35.000 libras, embora esta soma deve ser elevada em breve 50.000 (63.000 euros).

O governo irlandês pareceu quinta-feira disposto a reduzir a insatisfação, indicando que os bancos estrangeiros com uma presença importante no país poderiam ter as mesmas garantias, embora a situação deva ser estudada "caso por caso".

Esta possibilidade não é mencionada no texto da lei aprovada nesta quinta-feira.

Para entrar em vigor, a lei deve ser rubricada pela presidente irlandesa Mary McAleese, provavelmente ainda hoje.

ab/lm

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG