O Parlamento da Alemanha aprovou hoje a impopular contribuição do país, de até 22,4 bilhões de euros, para os empréstimos de emergência para a Grécia, ainda que um grupo de acadêmicos tenha tentado entrar com um recurso para bloquear o pagamento. A Câmara Alta do Parlamento, que representa os 16 Estados alemães, aprovou o projeto, que já tinha passado mais cedo pela Câmara Baixa.

O Parlamento da Alemanha aprovou hoje a impopular contribuição do país, de até 22,4 bilhões de euros, para os empréstimos de emergência para a Grécia, ainda que um grupo de acadêmicos tenha tentado entrar com um recurso para bloquear o pagamento.

A Câmara Alta do Parlamento, que representa os 16 Estados alemães, aprovou o projeto, que já tinha passado mais cedo pela Câmara Baixa. A aprovação já era esperada, já que o governo de coalizão centro-direita de Angela Merkel possui maioria nas duas Casas. O presidente, Horst Koehler, tem agora de sancionar o projeto para que ele entre em vigor.

"Temos de tomar uma decisão difícil hoje", disse o ministro de Finanças da Alemanha, Wolfgang Schaeuble, à Câmara Baixa. "Uma decisão numa época que é causa de grande preocupação de muita gente na Alemanha, na Europa, na Grécia e em outros lugares."

A parte alemã do pacote de 110 bilhões de euros será fornecida por meio do banco estatal KfW Banking Group, com o governo oferecendo garantia. A ajuda provocou controvérsia, já que a Alemanha é o maior contribuinte para o pacote. O país já adotou reformas estruturais dolorosas por sua própria conta para enfrentar os déficits elevados, sem receber ajuda externa. O aporte também surge antes das eleições regionais de domingo. Pesquisas recentes de opinião indicam que os partidos que integram a coalizão de Merkel perderão espaço. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.