Produtores paranaenses de soja já iniciaram a colheita da safra de verão que promete ser uma das maiores, contribuindo para que o Paraná retome a liderança na produção de grãos, perdida no ano passado para Mato Grosso. A previsão é de que sejam colhidos 29,32 milhões de toneladas, superando em 0,6% a safra de Mato Grosso, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

O volume produzido no Estado representa 20,5% da projeção de produção nacional de grãos - 143 milhões de toneladas.

A
pesar da boa produtividade, nem tudo é motivo de comemoração. Os preços, cotados pelo mercado internacional, estão em queda e são alvo de preocupação. "Desde junho estão em queda livre e, por enquanto, não há o que inverta a tendência", disse Lucílio Alves, professor da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz e pesquisador do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).

Dados apresentados pelo economista Alexandre Mendonça de Barros, da MB Associados, a produtores reunidos no Show Rural, em Cascavel, no oeste do Paraná, apontam para uma produção mundial de soja de 253 milhões de toneladas, um aumento de 20% ante 2009. Principalmente em razão das previsões de recordes dos três principais produtores - Estados Unidos, com 91 milhões de toneladas, Brasil, com 65 milhões (nova projeção da Conab reajustou para 66,7 milhões), e Argentina, com 53 milhões (no ano passado teve quebra de 31%). Diante de um consumo de 235 milhões de toneladas, resultariam estoques de 60 milhões, visto que outros 43 milhões fazem parte da reserva inicial. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.