Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Paraguai pede fim das assimetrias no Mercosul

As assimetrias econômicas e os obstáculos à livre circulação de mercadorias no Mercosul causaram efeitos devastadores na economia do Paraguai, disse nesta terça-feira o chanceler paraguaio, Rubén Ramírez, na Cúpula presidencial do Mercosul e países sócios.

AFP |

"Esse esquema de integração incompleto no Mercosul aumenta as assimetrias regionais. A falta de livre circulação de mercadorias implicou efeitos devastadores na economia paraguaia", declarou o diplomata na sessão plenária da cúpula, que acontece em Tucumán (norte da Argentina).

Ramírez defendeu "uma coordenação da política cambial" e "a eliminação da dupla cobrança tarifária" de produtos, uma das pendências do bloco.

"Para o Paraguai, é imperativo que essas soluções se dêem de maneira urgente. Apenas com a plenitude da integração, meu país poderá se dotar de instrumentos aptos para atender às suas necessidades de desenvolvimento", disse o diplomata.

Ele fez questão de destacar, contudo, que o Mercosul aprovou, em Tucumán, "mais de 60 projetos que beneficiam as pequenas economias da região que são o Uruguai e o Paraguai".

Hoje, o bloco aprovou o financiamento de cinco projetos por 23 milhões de dólares para obras de infra-estrutura no Paraguai, cujo aporte será realizado por meio do Fundo para a Convergência Estrutural (Focem).

jos/tt/LR

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG