Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Para presidente do Fed de Dallas, inflação nos EUA não é problema

SÃO PAULO - O presidente do Federal Reserve (o banco central dos EUA, o Fed) de Dallas, Richard Fisher, afirmou que a inflação não é um problema para os EUA neste momento e apoiou a ideia de que o tamanho dos bancos devem ser limitados no país. Em discurso em Nova York, a autoridade afirmou que o país ainda apresenta um grande excesso de capacidade.

Valor Online |

SÃO PAULO - O presidente do Federal Reserve (o banco central dos EUA, o Fed) de Dallas, Richard Fisher, afirmou que a inflação não é um problema para os EUA neste momento e apoiou a ideia de que o tamanho dos bancos devem ser limitados no país. Em discurso em Nova York, a autoridade afirmou que o país ainda apresenta um grande excesso de capacidade."Nós temos a menor pressão inflacionária dos últimos 30 anos", disse Fisher. Deste modo, ele quis enfatizar que seu pedido de elevação da taxa de desconto para 0,75% não significa que o ele acredita que este é o momento de iniciar um aperto no ciclo monetário americano, mas sim, apenas normalizar a diferença entre a taxa dos fundos federais e da taxa de desconto cobrada dos bancos. Além disso, Fisher afirmou que as autoridades deveriam dividir os bancos que são tão grandes a ponto de sua eventual falência poder desestabilizar o sistema financeiro internacional. Deste modo, ele apoia um acordo internacional para quebrar essas instituições em algumas de tamanhos mais administráveis."Mais administráveis para ambos executivos destas instituições, quanto para seus supervisores regulatórios", completou na ocasião. Com esta afirmação, Fisher compartilha das pressões dos presidente dos EUA, Barack Obama, para a aprovação no Senado de uma lei que deixa mais rígida a regulação para o setor financeiro do país. Atualmente, o presidente do Federal Reserve de Dallas não é um membro votante no que tange aos juros do Comitê de Mercado Aberto do Fed (FOMC, na sigla em inglês). (Vanessa Dezem | Valor com agências internacionais)
Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG