NOVA YORK - A América Latina está lutando contra uma tempestade perfeita causada pela crise financeira global, uma brusca redução do crescimento econômico e a queda no preço das commodities, disse o economista-chefe do Banco Mundial para a região na quarta-feira.

A crise, que vem devastando os mercados financeiros do continente nos últimos dias, ameaça as incipientes tendências de crescimento da região, disse Augusto de la Torre à Reuters em uma entrevista por telefone.

"Nós acompanhamos isso com um sentimento de frustração porque a América Latina não é culpada em nenhuma forma por essa crise", disse ele.

"A crise chega à América Latina a partir de fora em uma hora em que a América Latina está começando a desenvolver um ambiente de crescimento mais robusto."

Segundo de la Torre, a mudança no cenário econômico está também alterando as prioridades dos formuladores de políticas na região, deixando os bancos centrais mais inclinados a cortar taxas de juros, uma vez que os temores com a inflação caem, enquanto os relacionados ao crescimento aumentam.

Nesse ambiente, os países da América Latina devem "revisar" sua resistência a financiamentos de organismos multilaterais, como o Fundo Monetário Internacional, disse o economista.

"Uma vez que os países acham mais caro comprar nos mercados internacionais... eles devem olhar para essas agências multilaterais como fontes de um financiamento que é estável, de preço razoável e que estabelecem proteção."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.