Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Para montadoras, fase ruim é passageira

O presidente mundial da General Motors, Rick Wagoner, disse estar surpreso com a queda de vendas no mercado brasileiro. Ele espera, porém, que seja um típico fenômeno passageiro.

Agência Estado |

O executivo informou que os investimentos no País estão mantidos e a subsidiária local deve conseguir recursos próprios para projetos em andamento no País.

A GM do Brasil aguarda da matriz aval para um investimento extra de US$ 1 bilhão no País para renovar toda sua linha de veículos ate 2012. Wagoner não adiantou se a liberação vai ocorrer ainda este ano.

Na quarta-feira, o presidente da GM do Brasil, Jaime Ardila, estará em Detroit com o comando mundial da empresa para discutir projetos futuros. A companhia, que trabalha neste momento no lançamento, ainda este ano, do primeiro modelo de uma família, por enquanto chamada de Viva, espera o novo pacote de investimentos para o período 2010-2012. O atual programa, de US$ 1,5 bilhão, termina na próximo ano.

Bill Ford, presidente mundial do conselho da Ford, afirmou que o Brasil segue sendo muito importante para a marca. "Trabalhamos para manter todos os planos estratégicos no Brasil", disse. A filial brasileira tem gastos previstos de R$ 3,5 bilhões para os próximos anos.

Mark Fields, presidente da Ford para as Américas, acredita que o Brasil está sendo afetado pela crise internacional e citou o que ocorreu com o mercado local no último trimestre de 2008, quando as vendas despencaram. Ele ressaltou, entretanto, que as ações que o governo brasileiro adotou, de redução de impostos e liberação de crédito para o financiamento, "vão ajudar muito para que o impacto não seja tão acentuado".

O Brasil, disse Fields, faz parte do projeto de ter plataformas globais de veículos, principalmente de modelos de pequeno porte. "Vamos acelerar para ter carros mais eficientes em todos os mercados."

A Chrysler espera um crescimento de 5% nas vendas do grupo no Mercosul, ante as 45 mil unidades de 2008. A marca vai lançar este ano no Brasil o sedã Trazo, que está sendo produzido no México em parceria com a Nissan, voltado especialmente para o mercado latino-americano.

"Somos pequenos jogadores no Brasil, mas queremos seguir com o histórico de crescimento de vendas que já dura cinco anos", afirmou Eduardo Mayoral del Valle, diretor-geral para a América Latina.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG