RIO DE JANEIRO - O presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, ainda considera prematura a análise de que o aperto dos juros, iniciado em abril último, já tenha tido efeito sobre a trajetória de inflação do país. Nesta segunda-feira, o relatório Focus, que congrega as projeções das principais instituições financeiras do país, apontou uma queda nas estimativas de inflação para 2008.

"É um pouco prematuro ainda para dizermos até que ponto já existe um reflexo das políticas que foram adotadas neste ano, mas é importante mencionar que existe o compromisso de que a inflação esteja no centro da meta em 2009", frisou Meirelles, que participou hoje do X Seminário de Metas de Inflação, promovido pelo BC, no Rio.

O presidente da autoridade monetária lembrou que existe um processo de defasagem em relação à atuação do BC e seu efeito prático sobre a economia. Meirelles fez questão de salientar que qualquer custo da alta dos juros sobre o crescimento do PIB se justifica como forma de evitar a volta de um processo inflacionário.

"O maior custo para a sociedade é o aumento da inflação. Portanto, o que estamos promovendo é um ajuste da oferta e da demanda da nossa economia, de maneira que possamos assegurar a continuada estabilização da economia brasileira", afirmou Meirelles, lembrando que a inflação desorganiza a produção, aumenta o nível de imprevisibilidade e, conseqüentemente, reduz o nível de investimento no país.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.