PARIS - O diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, disse neste sábado que a crise financeira global é um teste de fogo e que a Europa deve mostrar que pode responder à situação. http://ultimosegundo.ig.com.br/economia/2008/10/03/crise_financeira_global_e_um_bom_momento_para_comprar_carro_financiado_1968289.html target=_topÉ um bom momento para financiar carro? http://ultimosegundo.ig.com.br/economia/2008/10/03/bolsas_encerram_semana_turbulenta_no_negativo_1970461.html target=_topBolsas encerram semana turbulenta no negativo http://ultimosegundo.ig.com.br///multimidia//galeria_de_fotos/2008/10/03/crise_nos_mercados_164919.htmlA semana do mercado financeiro em imagens

Segundo Strauss-Kahn, a situação é um teste sem precedentes para os países da zona do euro e a Europa deve assumir suas responsabilidades 'como os Estados Unidos', que acabaram de aprovar um pacote de resgate para instituições financeiras.

"É necessário dizer aos mercados que os países europeus não atuarão cada um por seu lado", disse. "A situação é muito preocupante", afirmou, antes de acrescentar que as perdas dos bancos são "mais importantes do que havíamos medido". "O FMI pensa que o problema é global e que precisa de uma resposta global", disse Strauss Khan.

Ele disse ainda que o FMI irá reduzir suas previsões de crescimento, mas não especificou quais seriam essas previsões.  As declarações foram dadas depois de reunião com o presidente da França, Nicolas Sarkozy.

UE busca resposta coordenada

Neste sábado, os líderes dos quatro países europeus do G8 (Alemanha, França, Itália e Reino Unido) discutirão em Paris uma maneira de conseguir uma coordenação europeia de urgência contra a crise e uma posição comum às vésperas do debate internacional sobre as reformas do sistema financeiro.

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, recebe no Palácio do Eliseu desde as 16h30 locais (11h30 de Brasília) os chefes do governo da Alemanha, Angela Merkel, Itália, Silvio Berlusconi, e Reino Unido, Gordon Brown, para uma pequena cúpula européia.

Sarkozy, que este semestre exerce a Presidência da União Europeia (UE), assegurou que o encontro de hoje é para preparar uma concertação européia para a reunião habitual dos ministros de Finanças dos Estados do G7 na próxima semana em Washington.

Também participam do encontro de hoje o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, e os presidentes do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, e do Eurogrupo, Jean-Claude Juncker.

Os preparativos para a reunião de Paris foram marcados pela divergência entre os participantes, especialmente sobre a ideia de um fundo europeu para salvar o setor bancário de cerca de 300 bilhões de euros, que foi rapidamente desprezada diante da oposição, sobretudo, de Merkel.

Mais notícias

Para saber mais

Serviço 

Opinião

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.