Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Para Fernando Henrique, BC ganhou poderes demais

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso criticou a atuação do governo federal diante da crise financeira mundial. Na avaliação dele, o Banco Central (BC) ganhou poderes demais.

Agência Estado |

"É um arbítrio muito grande, para fazer o que quiser, com quem quiser. Isso pode levar a protecionismo, temos de ficar de olho", disse FHC, ao comentar a medida provisória que autoriza o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal a comprarem instituições financeiras em dificuldade.

"O governo pode comprar o que quiser, até imobiliárias. Uma coisa é socorrer via mecanismo financeiro, outra é se associar a essa empresa. Mas qual é o critério? Isso tudo tem de ser explícito, se não pode haver suspeita", criticou ele.

Ao votar ontem no Colégio Sion, em Higienópolis, FHC também se disse contrário ao fundo soberano, que o governo pretende criar com o dinheiro proveniente da exploração de petróleo na camada pré-sal. "Não é o momento para isso, temos de ter equilíbrio. O governo está inventando balão de ensaio." Para o ex-presidente, o governo já devia ter cortado gastos por causa da crise mundial. "Há duas semanas, deram aumento e contrataram mais gente. Imaginaram uma situação rosa."

Apesar das críticas, FHC afirmou que o PSDB deve apoiar o governo na adoção de medidas estruturais que ajudem a economia do País a ficar mais resistente à crise financeira internacional. "A crise está aí, apesar da propaganda oficial de que não chegará até nós. Está chegando. O PSDB tem de agir com responsabilidade. Crise é crise e afeta a todos, não só um pedaço do Brasil."

Para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, FHC está torcendo contra o Brasil no enfrentamento da crise global. "Eu lamento que ele esteja torcendo para que a crise cause aqui o estrago que está causando nos Estados Unidos", disse Lula, após votar, em São Bernardo do Campo.

A fala de Lula foi uma resposta a entrevista de Fernando Henrique à revista Época, segundo a qual o presidente "engana" a população brasileira ao dizer que no Brasil a crise não será tão grave quanto nos Estados Unidos (Lula ainda não sabia que Fernando Henrique havia repetido o discurso ontem após votar, em São Paulo).

"A verdade é que não teria nenhuma razão para o Brasil ser vítima de uma crise, uma vez que não temos nenhuma empresa no subprime e temos reservas e o compulsório para irrigar o crédito do País", afirmou Lula. E completou: "Obviamente que eu lamento profundamente que algumas pessoas estejam torcendo para o Brasil não dar certo".

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG