A maioria do mercado financeiro ainda crê na alta do juro básico da economia (taxa Selic) na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) que começa nesta terça-feira. Para os analistas dos bancos e corretoras, a taxa deve subir 0,25 ponto porcentual, para 14% ao ano.

No entanto, o grupo dos economistas das cinco instituições que mais acertam as projeções coletadas semanalmente na pesquisa Focus, feita pelo Banco Central, têm visão diferente. O chamado Top 5 aposta que o BC vai anunciar a estabilidade do juro em 13,75% na quarta-feira.

Essas previsões para o juro sofreram mudanças de última hora, todas na semana passada, já que em 17 de outubro todos do mercado - inclusive os integrantes do Top 5 - ainda apostavam em alta da Selic de 0,50 ponto, para 14,25%.

Muitos analistas têm tido que uma eventual alta da Selic vai na direção contrária de outras iniciativas recentes do governo, que tenta aumentar a oferta de dinheiro no mercado.

A expectativa de uma decisão menos rigorosa sobre o juro acontece a despeito das previsões pessimistas para a inflação. Na pesquisa, a previsão para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para 2009 - índice que baliza a política de metas de inflação - subiu pela segunda semana seguida, de 4,9% para 5%. Com mais essa alta, a expectativa se afasta ainda mais do centro da meta para o ano, de 4,5%. Para 2008, a revisão passou de 6,23% para 6,29%.

O mercado reviu os números para o crescimento do PIB. A estimativa para a expansão da economia em 2009 caiu de 3,35% para 3,10%. Para 2008, a previsão se reduziu ligeiramente, de 5,22% para 5,23%.

Leia mais sobre Copom

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.