Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Para entrega, varejo usará caminhões pequenos

Empresas de varejo se preparam para a restrição de caminhões. Os responsáveis pela logística das Casas Bahia passaram o dia debruçados sobre planos de emergência para entregas.

Agência Estado |

Por enquanto, a determinação da rede é usar caminhões pequenos, os Veículos Urbanos de Carga (VUCs). Na seqüência, serão tomadas outras medidas, a serem detalhadas.

Ontem, entidades como a Associação dos Bares e Restaurantes (Absel), da Indústria de Alimentos (Abia)e dos Lojistas de Shopping (Alshop) discutiram detalhes sobre a restrição na sede da Associação Paulista de Supermercados (Apas). Uma conclusão é a de que o decreto entra em conflito com a Lei do Silêncio, pois as entregas só poderão ocorrer das 21 às 5 horas, e que o governo municipal não apresentou nenhuma alternativa. Outra é a de que haverá aumento dos custos do abastecimento e se ampliará a possibilidade de desabastecimento, por causa da redução de mais de 60% no tempo disponível para descarga. As associações também alertaram que é preciso que os VUCs permaneçam liberados para circulação, carga e descarga.

Por fim, as associações pediram que as entregas na casa do consumidor, tanto de alimentos como de bens de consumo, não sofram restrições por questões de segurança, Lei do Silêncio e lei dos condomínios. Apesar disso, as empresas afirmaram que estão se ajustando aos horários noturnos.

A principal preocupação das entidades ligadas aos motoristas é a segurança. O diretor do Sindicato de Cargas Próprias, Eleno Fernandes, disse que a entidade não é contra a determinação, mas não foi ouvida. Arnaldo Altman, dono de bares na Vila Madalena, diz que terá de contratar um funcionário para receber as mercadorias. "Não sei quanto isso vai representar a mais em gastos."

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG