Washington, 17 nov (EFE).- Os Estados Unidos estão em uma recessão prolongada que se estenderá até 2009, afirmou hoje uma pesquisa realizada pela Associação Nacional de Economia Empresarial (Nabe, em inglês) com economistas do setor privado.

A Associação afirmou que no quarto trimestre deste ano a economia americana registrará queda a um ritmo anual de 2,6%, de acordo com a opinião dos economistas entrevistados.

Outra pesquisa realizada pelo serviço de notícias econômicas "MarketWatch" indica que a maioria dos economistas calcula que a contração será de 3,5% entre outubro e dezembro.

No terceiro trimestre deste ano, segundo o último relatório do Departamento Americano de Comércio, a economia nos EUA registrou uma contração de 0,3%, a primeira desde a recessão de 2001.

A maioria dos analistas considera que há recessão quando a contração da atividade econômica se estende por dois trimestres consecutivos.

Cerca de 96% dos economistas entrevistados pela NABE acreditam que a recessão já começou, enquanto a Associação calcula que a atividade econômica dos EUA crescerá 0,2% em 2008 e 0,7% em 2009.

"Este será o ritmo de crescimento em dois anos mais lento desde o começo dos anos 80", disse o presidente da NABE, Chris Varvares, que também preside a empresa de assessoria financeira Macroeconomic Advisers, em Saint Louis.

"Os economistas do setor empresarial têm, claramente, um panorama mais negativo para os próximos trimestres como resultado da intensificação das pressões nos mercados de crédito e dos sinais de que a crise do setor financeiro se estendeu à economia real", acrescentou.

A pesquisa mostra, além disso, que a maioria dos economistas que falaram à NABE calcula agora que o índice de desemprego subirá para 7,5% no final de 2009.

Em outubro, o desemprego chegou aos 6,5%, o mais alto em 14 anos, anunciou o Departamento de Trabalho.

A previsão média dos economistas da NABE é de que o Federal Reserve (Fed, autoridade monetária americana) não fará mais cortes nas taxas de juros e manterá sua meta para os empréstimos interbancários de curto prazo em 1% até o fim de 2009.

A pesquisa do "MarketWatch", pelo contrário, afirma que a maioria dos economistas acredita que haverá outras duas reduções dos indicador de referência, cada uma de 0,25 ponto percentual, nas reuniões do Fed em 16 de dezembro e 28 de janeiro. EFE jab/ev

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.