Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Para economista, demanda de estrangeiros impede queda do dólar

SÃO PAULO - Os esforços do governo para injetar liquidez no mercado e sustentar a demanda do setor produtivo por financiamento são corretas e necessárias, mas não estão tendo sucesso contra o desejo de investidores de zerar posições e deixar os ativos locais. Essa é, segundo Luís Fernando Lopes, economista-chefe do Pátria Investimento, a principal razão para o dólar continuar subindo.

Valor Online |

Na avaliação de Lopes, a crise de liquidez é "crônica", pois a necessidade de compra é grande, mas não há vendedores. Agentes davam conta de que na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM & F) - onde é grande a operação com contratos de dólar - as transações ficam travadas muitas vezes por falta de vendedor.

"O investidor quer dólar e quer ir embora do país", diz Lopes, lembrando que a disputa pela moeda americana aqui dentro também conta com a demanda de empresas. Com tal cenário de volatilidade e incerteza, o economista se nega a fazer projeções para a moeda ao final deste ano.

Considerando a redução do crescimento derivada da crise, que levará o PIB brasileiro a crescer abaixo de um potencial de 4,5% de alta, e levando em conta a deterioração do comércio internacional, Lopes acredita que em 2009 o dólar médio deve ficar em R$ 1,90 . Para 2010 e 2011 as estimativas do economista apontam para uma moeda entre R$ 2,10 e R$ 2,15. "Não vamos mais ver dólar a R$ 1,70", avalia.

(Bianca Ribeiro | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG