Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Para Bradesco, crise nos EUA está longe de acabar

A crise nos Estados Unidos ainda parece estar muito longe de se encerrar, mas o Brasil tem boas perspectivas pela frente. A avaliação foi feita pelo presidente do Bradesco, Márcio Cypriano, em apresentação feita aos executivos da Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais (Apimec-Rio).

Agência Estado |

"É evidente que nenhum país do mundo passará ileso à crise", disse. "Mas o Bradesco permanece firme nos trilhos e confia em um futuro brilhante para a economia brasileira", afirmou.

Segundo Cypriano, o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil deve crescer em torno de 5,5% este ano e entre 3% e 3,5% em 2009, "em linha com a desaceleração da economia mundial e a redução da inflação para a meta."

O executivo afirmou que o sistema financeiro nacional é sólido. De acordo com ele, nesse momento os administradores de investimentos devem ter cautela, mas os investimentos de longo prazo no Brasil devem continuar firmes. Ele citou como destaques na economia brasileira os setores bancário, construção civil, agronegócios, varejo e infra-estrutura.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG