WASHINGTON - O chairman do Federal Reserve, Ben Bernanke, afirmou nesta quarta-feira, que é preciso garantir aos mercados que o pacote de ajuda será forte o suficiente para resolver os problemas da crise financeira. Em depoimento ao Comitê Econômico Conjunto do Congresso, Bernanke ressaltou que se os mercados financeiros travarem, o declínio no mercado de moradias será mais longo e mais acentuado.

Ele ponderou, porém, que se o plano de US$ 700 bilhões ajudar a impulsionar a economia, o Fed poderá ter que elevar os juros mais rapidamente do que o esperado.

Bernanke disse ainda que o custo fiscal líquido do pacote para os contribuintes será bem menor do que US$ 700 bilhões.

Inflação

Bernanke também afirmou que o plano de resgate não deve ter nenhum efeito acelerador sobre a inflação. "Este plano não é um estimulante fiscal", insistiu.

"Ao mesmo tempo que reforça efetivamente os mercados financeiro, relança o crédito e ajuda o crescimento econômico, enquanto o Fed pode ter de responder aumentando suas taxas antes do previsto, mas seria na linha normal de um restabelecimento da economia", declarou Bernanke.

"Não espero nenhum efeito deste plano sobre a inflação. Queremos simplesmente estabilizar o sistema", concluiu.

(Com informações da Reuters e AFP)

Leia mais sobre Fed

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.