Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Para Augustin, quadro fiscal ganha importância com piora da crise

BRASÍLIA - O secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, disse que o quadro de melhoria fiscal do país ganha mais importância com a piora na crise externa. Ele deu entrevista logo após a rejeição do plano de resgate financeiro pela câmara dos deputados dos EUA, mas não quis avaliar as influências sobre a economia brasileira.

Valor Online |

"Num momento de turbulências como agora, é importante para o Brasil registrar solidez fiscal", disse, ao comentar o superávit primário de R$ 6,27 bilhões do governo central (União, Banco Central e Previdência) em agosto.

Augustin alegou que o ministro da Fazenda, Guido Mantega, falaria depois dele sobre a decisão da Câmara americana. Quase "comprimido" por seguranças e jornalistas, Mantega falou na portaria do Ministério da Fazenda, porém sem esclarecer se o governo brasileiro adotará medidas de precaução contra o avanço da crise.

O ministro repetiu o que tinha dito Augustin: que o setor público acumula superávits fiscais superiores a 2007. No acumulado até agosto, o governo central fez economia de R$ 74,8 bilhões, 45% a mais que no ano anterior.

De acordo com as planilhas que o secretário do Tesouro insistiu em detalhar, nos oito primeiros meses do ano o governo investiu R$ 15,9 bilhões, cerca de 43% acima dos R$ 11,18 bilhões de igual período anterior.

Os pagamentos de obras de infra-estrutura do Projeto Piloto de Investimentos (PPI) somaram R$ 4,21 bilhões, aumento de 77% sobre os R$ 2,3 bilhões entre janeiro e agosto de 2007.

(Azelma Rodrigues | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG