Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Pânico dos fundos especulativos faz as ações da Volkswagen dispararem

As ações da montadora alemã Volkswagen superaram nesta terça-feira a astronômica cifra dos 1.000 euros na Bolsa de Frankfurt, sintoma do pânico que se apoderou dos especuladores ante o anúncio de que a Porsche tomaria o controle da companhia.

AFP |

A ação da Volkswagen, a maior montadora da Europa, registrou na manhã desta terça-feira 1.005,01 euros, uma alta de 93,27% por causa de movimentos extraordinários de fundos especulativos.

Na noite de segunda-feira, as ações da Volkswagen representaram 17% do valor total do principal índice da Bolsa de Frankfurt, o Dax, que finalizou em alta graças a esta espetacular ascensão.

O que está claro é que este pulo astronômico está relacionado com a tomada de controle em curso da Volkswagen (VW) por parte da Porsche.

A Porsche anunciou no domingo que havia assegurado o controle de 74,1% do capital da VW, somando os 42,6% das ações da Volkswagen e os 31,5% suplementares em opções sobre títulos.

"O objetivo é, sempre que as condições econômicas permitam, alcançar os 75% em 2009, o que abrirá caminho para um acordo de controle", afirmou o construtor de carros esportivos.

O anúncio foi motivado, segundo a Porsche, pelas "evoluções dramáticas nos mercados financeiros" e para que os operadores que especulavam em baixa com o valor das ações tivessem tempo de mudar calmamente de tática, sem provocar outros novos riscos para a empresa.

Algo que realmente fizeram, só que dominados pelo pânico.

O fato é que o aumento da participação da Porsche no capital da VW reduz o capital flutuante - negociado na bolsa - a quase 6%, já que o Estado regional da Baixa Saxônia possui cerca de 20%.

Os fundos de investimentos que pediram emprestado os títulos e os venderam para especular com uma perda de valor a curto prazo se vêem assim com uma margem de manobra muito limitada para cobrir sua posiçao Esses fundos têm que comprar títulos para devolvê-los. "É o que estão fazendo agora e a qualquer preço", explicou Christian Aust, economista da Unicredit.

Segundo os especialistas, os movimentos são tão extraordinários que só podem se tratar de fundos especulativos (hedge funds), que são cobertos a curto prazo.

"Ninguém mais compraria as ações da Volkswagen a este preço. Não faria o menor sentido", assinala Aust.

Apenas resta um pequeno grupo de acionistas, explica Lothar Gries, porta-voz da associação de pequenos acionistas SdK. "Muito certamente já venderam, para a Porsche ou outros", indica à AFP.

Para Aust, resta pendente um mistério: os mais de 6 bilhões de euros que totalizaram na tarde desta terça-feira o volume de intercâmbios da ação, algo assombroso levando em conta que, teoricamente, os títulos se tornaram raros.

"Isso significa que alguém está dando as ações, talvez a Porsche ou a Baixa Saxônia, não sei", admitiu.

A escalada dos títulos nao deixou indiferente a entidade reguladora da Bolsa de de Frankfurt, o BaFin, que está examinando os dados sobre os intercâmbios de títulos para determinar se há transações delituosas.

bur-ilp/cn

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG