GENEBRA - O diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Pascal Lamy, discursou nesta quarta-feira contra o protecionismo e pediu aos países-membros que não fechem suas fronteiras como método para frear a crise econômica mundial.

Acordo Ortográfico

"Espero que as nações que formam a OMC [153 países] não sigam o exemplo dos Estados Unidos nos anos 30, que levantaram barreiras comerciais e elevaram as tarifas de 20 mil produtos", disse Lamy, ao inaugurar o Fórum Público da OMC 2008, em Genebra.

"É uma crise, precisamos que os consumidores empobrecidos tenham mais poder de compra, e a tentação de fechar as fronteiras vai contra isso", acrescentou o diretor-geral.

Em relação às negociações da Rodada de Doha, que fracassaram novamente no fim de semana passado, Lamy disse que é preciso manter a esperança, "porque não há alternativa à OMC".

Argumentou que um acordo pactuado ajudaria a resolver parte de alguns desafios mais importantes no mundo, como a mudança climática e a crise dos alimentos.

Leia mais sobre: crise nos EUA

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.