Tamanho do texto

Governos da zona do euro entraram em um acordo neste domingo sobre as condições para concessão de 30 bilhões de euros ao país

Os Governos dos 16 países da zona do euro entraram em um acordo neste domingo sobre as condições para a concessão de um primeiro empréstimo europeu no valor de 30 bilhões de euros (cerca de R$ 71 bilhões) à Grécia, se este país assim o solicitar, informou o presidente do Eurogrupo, Jean-Claude Juncker. Outra parte da ajuda, não detalhada ainda, será apresentada pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) .

O preço dos empréstimos bilaterais europeus será fixado conforme as regras usadas pelo FMI e deverá girar em torno de 5% de juros no primeiro ano, afirmou o comissário europeu de Assuntos Econômicos e Monetários, Olli Rehn.

A iniciativa vem depois que os spreads entre a taxa dos bônus gregos e alemães subiram para novos recordes na semana passada, devido a temores de um calote. "Estamos preparando os detalhes do mecanismo que vamos usar, caso a Grécia peça ajuda," afirmou Jean-Claude Juncker, que também é o primeiro-ministro de Luxemburgo. "Este é o esclarecimento que os mercados estavam esperando, pois mostra que existe dinheiro atrás da proposta," disse.

Atenas ainda não solicitou o apoio

O ministro grego das Finanças, George Papaconstantinou, disse neste domingo que o governo de Atenas ainda não pediu que fosse ativado o mecanismo de apoio europeu. Papaconstantinou saudou como "muito importante" a decisão interministerial da Zona do Euro sobre as condições de eventual ajuda à Grécia.

"Foi tomada uma decisão muito significativa", declarou o ministro George Papaconstantinou à televisão local. "Apesar de o governo grego não ter pedido a ativação do mecanismo, ele está disponível de imediato, sem entraves", afirmou.

(Com agências)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.