Tamanho do texto

O presidente do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, disse nesta quinta-feira que o Brasil vive um ciclo de investimentos amplo e robusto. Ele destacou que após um ano da crise internacional gerada pelos problemas com as hipotecas de segunda linha (subprime) nos Estados Unidos, as decisões de investimentos no Brasil nem tremeram.

Segundo ele, os dados do BNDES mostram que desde a eclosão da crise, em agosto de 2007, os projetos de investimento em análise na instituição cresceram 30%. Em sua apresentação na reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), Coutinho destacou que a taxa de investimento no Brasil tem crescido duas vezes acima da expansão do Produto Interno Bruto (PIB). Segundo ele, esse ritmo indica que o nível de investimento do País chegará a 21% do PIB em 2010. Em 2008, ele calcula que esse indicador ficará em 18,5% do PIB.

Investimentos

O presidente do BNDES apresentou um mapeamento que mostra que os investimentos no período de 2008 a 2011 devem chegar a R$ 1,5 trilhão, o que implica uma taxa de crescimento anual de 18%.

Apesar do discurso otimista, Coutinho ponderou que não há motivo para "subir no salto alto" e é preciso trabalhar para elevar a poupança interna e colocar o País no grupo dos países que têm autonomia para crescer. "Não quer dizer que está tudo resolvido. Há uma travessia pela frente, mas assim como atravessamos este último ano, podemos continuar essa travessia. O padrão de crescimento é virtuoso. Temos um mercado interno que é um ativo do Brasil com um potencial tremendo", afirmou.

Coutinho disse também que os fundamentos da economia brasileira estão muito sólidos, dando previsibilidade aos empresários para que possam investir.

Coutinho apresentou também dados sobre uma série de projetos de investimentos em vários setores e ressaltou o papel do presidente Luiz Inácio Lula da Silva na condução "do barco sólido e bem construído" do Brasil. "Temos no comando um timoneiro firme", comentou.

Trem-bala

Coutinho disse também que o leilão de concessão para o projeto do trem-bala (trem de alta velocidade), que ligará Rio de Janeiro, São Paulo e Campinas, no interior paulista, deverá ocorrer em fevereiro de 2009. Segundo ele, a idéia é que a linha comece a operar em 2014 e o investimento na construção foi estimado em US$ 11 bilhões.

O BNDES foi encarregado pelo governo de concluir os estudos técnicos de viabilidade econômica e financeira do projeto do trem-bala.

O ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, disse que esses estudos devem ser concluídos em outubro. Segundo ele, técnicos do ministério vão se reunir na próxima segunda-feira (dia 1º) com representantes do governo do Estado de São Paulo para discutir a parte paulista do projeto.

Leia mais sobre BNDES

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.